Blog

Fragrâncias são prejudiciais?

Fragrâncias são prejudiciais?

Fragrâncias são prejudiciais?

Mais um ingrediente na mira da lista "proibida" dos cosméticos naturais.

Será que tudo o que é 100% natural é sempre mais seguro?

Nós todos gostamos bastante dos cheiros agradáveis que nos dão sensação de prazer.

É um costume já muito antigo, todos sabemos que desde de que o mundo é mundo, há milhares de anos e em civilizações ancestrais, as pessoas já se preocupavam com seu próprio cheiro e os cheiros ao seu redor.

De acordo com a IFRA - The International Fragrance Association)  “uma fragrância é um composto químico que possui cheiro ou odor. Esses compostos podem incluir materiais sintéticos e matérias-primas aromáticas naturais de plantas, obtidas através de destilação, expressão e extração.” Ponto. Isso é fragrância.

De acordo com o artigo científico a fragrância é um dos componentes cosméticos que mais causam irritação e hipersensibilidade de contacto na pele. 

As fragrâncias podem ter origem natural ou sintética e serem usadas apenas com o intuito de perfumar ou até para disfarçar o cheiro de uma matéria-prima.

A maioria das pessoas adora o cheiro de alguns produtos e até é um fator determinante na hora da compra.

O problema é quando tem algum composto que somos alergicos.

O que ignoramos é que a “fragrância” que se lê na embalagem, possui vários ingredientes diferentes na sua composição ( algumas vezes chegam a 100 compostos).

Fragrâncias em cosméticos que causam alergias


Algumas das fragrâncias que causam hipersensibilidade são eugenol, geraniol e hidroxicitronelal, que estão presentes em óleos essenciais, e fazem parte da mistura de oito fragrâncias usada com padrão para testes de alergia de contacto.

Um estudo com cerca de 10.000 pacientes com eczema mostrou que 5,5% dos entrevistados relataram reação positiva após a exposição à mistura que consiste em aldeído e álcool cinâmico, eugenol e isoeugenol, geraniol, hidroxicitronelal, amil cinamaldeído e musgo de carvalho.

Quem deve evitar?

Pessoas que têm pele sensível, rosácea e, claro, as que já sabem que são alérgicas a determinadas fragrâncias. "Muitos produtos hoje utilizam em sua composição química, fragrâncias sintéticas derivadas de petróleo. Elas podem, sim, serem prejudiciais. Se a fragrância for sintética, o melhor é evitar sempre”, admitem os dermatologistas

A hipersensibilidade às fragrâncias geralmente ocorre na forma de dermatite alérgica de contato, urticária de contato e reações fototóxicas. Essas alterações podem aparecer em várias áreas da pele, incluindo face, pescoço, axilas ou mãos.



×