Portes grátis em encomendas superiores a 40€.
  Blog

Tudo sobre Óleos Essenciais

Escrito em 23 de novembro de 2021

Tudo sobre Óleos Essenciais

Óleos essenciais

 

São substâncias naturais, destiladas das essências que as plantas produzem pelo metabolismo secundário. Complexas, têm poder volátil e fragrâncias variadas de acordo com as plantas que as produzem. São responsáveis pelos odores aromáticos que nelas encontramos.

Podem ser encontradas nas flores, nas folhas, nos caules, nas hastes, nas cascas ou nas raízes. São produzidas por muitas plantas por todo mundo e são constituídas por centenas de substâncias diferentes, chamadas de ativos químicos.

De forma geral, os óleos essenciais são misturas complexas de substâncias voláteis, lipofílicas, hidrofóbicas, odoríferas e líquidas.

 

A qualidade dos óleos essenciais
 

As propriedades das moléculas aromáticas e sua ação sinérgica determinam as propriedades e indicações terapêuticas dos óleos essenciais.

É impossível definir as propriedades de um óleo essencial sem levar em conta todas as moléculas que o constituem.

Os critérios de qualidade dos óleos essenciais devem ser estabelecidos em função da composição bioquímica ideal e integral das essências, tais como foram sintetizadas na natureza, e não como foram modificadas ou reconstituídas pelo homem.

Note-se que uma pequena alteração no perfil molecular pode gerar um aumento de efeitos indesejáveis, como alergias, dermocausticidade, neurotoxicidade e outros, além da diminuição da eficácia.

A maior parte dos óleos essenciais vendidos como 100% puros e naturais estão na verdade adulterados com óleos vegetais ou minerais, moléculas de síntese barata usadas em perfumaria, agentes químicos emulsificante, terebintina, álcool.

Essas alterações tornam os óleos essências potencialmente alergénicos e tóxicos, ou até mesmo cancerígenos. Também é possível a adulteração com a adição de óleos essenciais de fragrância semelhante, porém de baixo preço.

Com a adulteração de, por exemplo, uma tonelada de óleo essencial 100% puro de alecrim, destilado em Marrocos, pode ser transformada em sete toneladas pela indústria que as revenderá por um preço mais baixo.

No mercado, existem categorias diferentes para os óleos essenciais.

Óleos essenciais com padrão de qualidade industrial, óleos essenciais que provêm de espécies botânicas não corretamente identificadas, cultivadas industrialmente, colhidas sem consideração quanto à melhor época, destiladas rápida e incompletamente em alta temperatura e sob grande pressão atmosférica e são usualmente retificados. Esses óleos não devem ser usados com finalidade terapêutica

Óleos essenciais 100% puros e naturais,  extraídos de plantas que não necessariamente possuem alguma certificação botânica ou são orgânicos. A colheita nem sempre é realizada na melhor época. A destilação é incompleta (modo rápido, em altas temperaturas, por exemplo). Seu uso para tratamentos terapêuticos é possível, mas desaconselhado.

Óleos essenciais autênticos e quimiotipados, óleos essenciais são 100% puros, 100% naturais e 100% completos (integrais). São os mais usados na aromaterapia. Devem possuir um modo muito criterioso de extração, com material botânico totalmente certificado e com laudos muito precisos.

 

 

 

Utilizar óleos essenciais para cuidarmos de nós e do nosso bem-estar, não é uma coisa recente e sim algo que já fazíamos há muitos séculos. Na Índia usavam para a medicina ayurvética que é um sistema holístico de cura e, no Egipto, utilizavam–nos para tratamentos de beleza. 

O uso de óleos essenciais é benéfico não só a nível emocional como a nível físico.  

Cada óleo essencial, possui as suas próprias vantagens. Uns ajudam a acalmar, enquanto outros são energizantes, outros ajudam a ter melhor digestão outros, ajudam em irritações da pele.

A maioria das misturas à base de óleos essenciais terá entre 1% e 4% de diluição, o que normalmente não representa uma preocupação de segurança.

À medida que se aumenta a concentração de óleos essenciais na diluição, aumentam-se as hipoteses de acontecer alguma reação alérgica ou irritativa na pele.

A capacidade do óleo essencial resultar em algum efeito adverso depende das moléculas contidas em cada óleo essencial individualmente. Em outras palavras, cada óleo possui seu limiar irritativo intrínseco. Além disso, a área em que o óleo é aplicado e outros fatores relacionados com os níveis de sensibilidade da própria pessoa, contribuem para os possíveis efeitos tóxicos resultantes da aromaterapia.

Apesar de ser um produto natural, é necessário que tenhamos em atenção quando os utilizamos a possiveis reações porque os nossos corpos são diferentes, e por isso, podem reagir de maneira diferente a cada um dos óleos.  

Desta forma, deixamos aqui alguns cuidados e recomendações que devem ter em atenção, quando pensam em usufruir dos seus benefícios. 

Nunca se deve aplicar um óleo essencial puro na pele. Deve-se sempre primeiro diluir num óleo vegetal (óleo de amêndoas, por exemplo). Pode causar reações.

Não ingerir.

Antes da aplicação, verificar a sensibilidade da pele numa zona pequena

Não pode ser usados por mulheres grávidas ou que estejam a amamentar

Evitar a exposição solar. Alguns óleos essenciais que não devem ser usados antes da exposição ao sol (bergamota, limão, laranja, tangerina, ou seja, todos os cítricos)

Não usar em animais, sobretudo em gatos

Não deixar perto de uma fonte de calor, uma vez que é inflamável. Os óleos essenciais são inflamáveis, portanto, mantenha-os longe do fogo e do plástico

Manter fora do alcance das crianças

Usar apenas por três semanas. Se necessário, deve haver uma semana de intervalo entre uma nova aplicação

Consultar um especialista se for hipertenso(a) ou tiver um histórico de epilepsia

O uso dos óleos essenciais com fins terapêuticos requer, sempre, o aconselhamento prévio de um especialista

Alguns óleos podem provocar fotossensibilidade

De modo geral, cuidados especiais devem ser tomados com bebês, crianças pequenas, gestantes e idosos.

Não aplicar os óleos perto dos olhos

Para tirar proveito dos benefícios dos óleos essenciais podem fazer banhos aromáticos, massagens e inalação através de difusores e purificadores de ar.  

 

Tipos de óleos essenciais
 

Óleo essencial de Alecrim (Rosmarinus officinalis). Possui propriedades antissépticas, analgésicas, adstringentes, antiespasmódicas, antibacterianas, anti-inflamatórias. 

 

Óleo essencial de Lavanda (Lavandula angustifolia). Propriedades antissépticas, analgésicas, cicatrizantes, anti-inflamatórias, anti-parasíticas,desodorizante, reparador, regenerador. 

 

Óleo essencial de Gerânio (Pelargonium graveolens). Propriedades antioxidantes, anti-inflamatórias e rejuvenescedoras da pele

 

Óleo essencial de Limão (Citrus limon). Propriedades antioxidantes, tónicas, purificantes, desintoxicantes e antissépticas, estimulante, purificador do ar, purificador, revigorante.

Óleo essencial de Hortelã Pimenta (Mentha piperita). Propriedades anti-inflamatórias, espasmolíticas, tónicas, digestivas, refrescantes, revigorantes e analgésicas. 

 

Óleo essencial de Eucalipto (Eucalyptus globulus). Propriedades anti-sépticas, anti-infecciosas, anti-inflamatórias, anti-reumáticas, desodorizantes e mucolíticas

Óleo essencial de Esteva (Citus iadanifer). Propriedades antioxidantes, estimulantes do sistema imunitário. 

 

Óleo essencial de Árvore do chá (Melaleuca alternifolia). Propriedades antisséticas, antivirais, fúngicas, bactericidas, germicidas e cicatrizantes, Purificador de ar, purificador, reparador, regenerador. 

 

Óleo essencial de Erva Príncipe (Cymbopogon flexuosus). Propriedades anti-infeciosas, bactericidas, antisséticas, antimicóticas, anti-inflamatórias e repentes de insetos voadores. 

 

Óleo essencial de Litsea Cubeba (Litsea cubeba persoon). Propriedades antidepressivas, antissépticas, adstringentes, bactericidas, carminativas, inseticidas, estimulantes e tónicas.

Alguns produtos “oferecem” fragâncias em vez de óleos essenciais que devem ser evitadas.

As fragrâncias são uma mistura de produtos químicos aromáticos com ingredientes naturais. São compostos químicos que são produzidos de forma sintética, usados em muitos dos produtos de limpeza, higiene pessoal, desodorizantes, que são normalmente encontrados nos supermercados.

Embora as fragrâncias em cosméticos sejam requisitos de compra e aceitação dos produtos, elas estão em primeiro lugar na lista dos componentes dos cosméticos que mais causam irritação e hipersensibilidade de contato.

Como se percebe, os aromas são maravilhosos mas temos de ter cuidado na escolha e perceber que até os óleos essenciais não são seguros.

  


×