Blog

A escolha do seu creme com acido hialurónico pode ser inutil

A escolha do seu creme com acido hialurónico pode ser inutil

Todos encontrámos um anúncio a um creme em que menciona e dá enfase a um ingrediente.
Está na moda o “Ácido Hialurónico”, já esteve o “Óleo de Argan” para os cabelos, houve uma altura que se falava da “baba de caracol”, mas… será que os produtos contém uma quantidade suficiente para notarmos alguma diferença?

Alguns ingredientes são adicionados aos produtos apenas para um propósito, que é deixar os departamentos jurídico e de marketing da empresa, satisfeitos.

Os departamentos de marketing e jurídico ficam felizes quando podem anunciar o Produto Cosmético X, que agora contém o ingrediente Y, sem qualquer risco de ser processado por propaganda enganosa.

Alguns exemplos são: 

'Agora com óleos essenciais ';

'Contém Óleo de Argan';

'Com Aloe Vera '...

 Esta prática não é novidade.

Os ingredientes em questão são muitas vezes referidos entre as pessoas da indústria como … “pó de fada”.

Os “Pós de Fada” estão presentes em quantidades tão minúsculas que nunca, nem em um milhão de anos, seriam capazes de 'tornar o cabelo mais macio' ou 'a pele mais macia' ou fazer qualquer outra coisa para a pessoa que o está a usar.

Para atender a requisitos legais, são adicionados os ingredientes – "pós de fada", ao produto na quantidade de no mínimo 0,05% do total da fórmula.Ou seja, num frasquinho de creme para o rosto que tem 50ml, as empresas colocam 0.05 ml desse produto.

Como assim?

É verdade.

Um produto que esteja a vender o ingrediente (como no anúncio da televisão que a Cristina Ferreira vende tão bem REVITALIFT com o ácido hialurónico) está a vender só … 0.05 do mesmo.

Será que cinco centésimos de um por cento de óleo de argan num condicionador terá algum efeito?

Não.

Se usar um condicionador sintético, (de supermercado) e se sentir o cabelo mais sedoso, depois de experimentar o condicionador 'agora com óleo de argan', o que provavelmente está a experimentar é o silicone (muito mais barato e 100% sintético) listado no rótulo dos ingredientes muito antes de ver o óleo de argan listado. (os ingredientes são listados pela quantidade na sua composição).

                        

 

 

Os ingredientes usados ​​como “pó de fada” são, os mais caros da composição do produto, então o fabricante fica feliz em poder gerar vendas com marketing enganador, mantendo os custos de produção no mínimo absoluto.

Resumindo, "pó de fada" é apenas uma vitória para o fabricante. O consumidor é enganado.

Será esta prática desagradável, desonesta e antiética?

Usar “pó de fada” não tem nada a ver com produzir produtos de qualidade e tudo a ver com enganar os consumidores com o único objetivo de lucro.

Em contraste, a maioria das empresas de cosmética natural / artesanal está a fazer tudo o que puder para evitar cortar os ingredientes mais caros “apenas” para reduzir os custos de produção.

Talvez isso seja parte do motivo pelo qual o movimento da beleza verde continua a crescer. Os consumidores parecem preferir produtos de qualidade aos contos de fadas fabricados em massa.

 

Da Joana COsmética Natural



×